NA BATALHA DO AGRONEGÓCIO

COM DETERMINAÇÃO E PAIXÃO, PRODUTORA SUPERA REVÉS DA VIDA E SE TORNA REFERÊNCIA PARA O AGRONEGÓCIO REGIONAL

Renata Helena Amaral de Carvalho, 44 anos, é de origem urbana e dentista por profissão. Foi no casamento de 18 anos com Marcelo Castro que ela teve contato direto com o universo rural, apesar de ser neta de cafeicultor.
Marcelo Castro era tenente farmacêutico da Aeronáutica e estabeleceu, em Guaratinguetá, a rede Megafarma de farmácias, enquanto acalentava aquele mesmo sonho do menino saído de Santa Fé do Sul: viver na cidade de Tabapuã, berço dessa famosa raça bovina, e onde ele foi seduzido pelas atividades da Fazenda Água Milagrosa, um dos principais criatórios da raça Tabapuã.
E foi em Guaratinguetá, no bairro rural Colônia do Piaguí – mais precisamente na Fazenda Império das Palmeiras – que encontrou o local exato para se estabelecer como pecuarista. Determinado e estudioso, logo despontou no mercado do agronegócio. Mas, um revés da vida o “sequestrou” do convívio com os seus deixando-lhes como legado a manutenção desse sonho transformado em realidade.

O RECOMEÇO
Imediatamente após “a partida” do marido, Renata chamou para uma conversa dois amigos da família – Paulo e Nélson – para informar-lhes sua decisão de vender a fazenda. Assustados e calados num primeiro instante, tanto Paulo Henrique Camargo (que é zootecnista) quanto Nélson Rodrigues (também profissional em pecuária) acabaram se animando e se propuseram a ajudar quando Renata resolveu tocar o projeto do marido.
Traçaram imediatamente os critérios da retomada. Pouco tempo depois de uma busca incansável pela superação, Renata agregou em seu entorno um time de mulheres também produtoras rurais e “guerreiras”, várias aqui da região, e que vem militando pelos campos do Brasil – Sarita Junqueira Rodas, do Grupo Rodas, Ana Ártico, da Fazenda Terras da Ártico e outras companheiras em Monte Azul Paulista, São Gabriel do Oeste, Dores do Indaiá, todas batalhando em suas terras por esse país afora.
Na Fazenda Império das Palmeiras, sonho e realidade se misturam, hoje em dia, com pastos e baias, num trabalho premiado na criação de equinos e zebuínos e na busca pela excelência e fertilidade da criação.

A FAZENDA
Após estudos criteriosos que definiam metas para instalação do empreendimento, foi escolhida a Fazenda Império das Palmeiras, que se localiza na Colônia do Piaguí. Na sua totalidade a Fazenda possui 138 alqueires e uma casa sede que foi totalmente restaurada.
Para adequação ao negócio de criação do cavalo Manga Larga Marchador e do melhoramento genético do gado Tabapuã, foram construídas nove baias para cavalo redondel, doze baias para gado, um mangueiro, um brete (espaço onde o gado é pesado, vacinado e medicado.
Além da sede, uma casa para hóspedes e a pequena Capela de Santa Catarina de Sena completam o cenário da fazenda que é hoje referência em excelência de matrizes e um criatório que se enquadra entre os maiores do Brasil, acumulando vários prêmios tanto para os equinos, quanto para os zebuínos.

O GADO
Conhecido como o “zebu brasileiro”, o Tabapuã é uma raça genuinamente nacional, fruto de cruzamentos entre o gado macho nacional e animais de origem indiana. Possui criadores nos quatro cantos do Brasil. Com pouca idade, as matrizes apresentam alto índice de fertilidade e a habilidade materna da raça garante bom desenvolvimento para os bezerros. Possuem excelente produção de leite. A sua docilidade é uma característica muito importante para os criadores. Não se estressa ou perde peso durante vacinações e transporte. Não se envolve em brigas, aceita com facilidade o confinamento.
São campeões de peso já aos 205 dias, seja no pasto ou em confinamento, mantendo essa vantagem ao longo do seu desenvolvimento, demonstrando acabamento de carcaça exemplar.
Encontra-se entre as sete melhores espécies para gado de corte. Só no último ano foram três prêmios importantes numa mesma feira com os animais: Barca Fiv da Ge 05 – Grande Campeã Nacional; a Rosário do Gregg, Campeã Fêmea Jovem e o Cacife, reservado Grande Campeão Touro Jovem – todas da Expozebu 2019, Uberaba MG. Com força no melhoramento genético e gado de pista.

Capela de Santa Catarina de Sena,
inaugurada em 25 de julho de 2020

O CAVALO
A raça Mangalarga Marchador é tipicamente brasileira e surgiu há cerca de 200 anos. Cavalo de porte médio e elegante, beleza plástica, de marcha trotada, dócil, ágil, inteligente e próprio para montaria. Costuma pesar em torno de 450 kg (macho) e 400 kg (fêmea), com uma estatura de 155 cm para os cavalos e 146 para as éguas. As pelagens são castanha, alazã, em sua maioria, com pelos finos e macios, crinas longas e onduladas.

O BRAÇO DIREITO
Ao lado dos filhos Isadora, Matheus, Marcela e Pedro, Renata comenta: “Médico recém formado e já clinicando”, meu filho decidiu me apoiar nessa nova empreitada. Também recebi apoio de muita gente próxima e querida! Mas, neste momento meu filho Pedro tem sido o meu braço forte e meu porto seguro. ”- concluiu.
Pedro Carvalho, por sua vez, faz eco ao comentário de Renata “As circunstâncias da vida levaram minha mãe a administrar a fazenda e eu resolvi seguir junto. Seguimos em busca de conhecimento, informações e parceiros além do apoio de outros criadores amigos em todos os sentidos. É o que nos motiva seguir em frente. ”, conclui.

Com os filhos Isadora, Matheus, Marcela e Pedro

Serviço:
Cel.: (12) 99724 0289
E-mail: fazpalmeiraguara@gmail.com
Instagram/ Facebook: fazendaimperiodaspalmeiras

Envie sua mensagem!

Deixe seu recado abaixo pra gente! ;)